Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2014

REMEMBER - CHRISTINA ROSSETTI

Christina Rossetti foi uma poetisa inglesa do século XIX (1830-1894), proveniente de uma família de grandes talentos (pai poeta, irmão pintor e poeta). Começou a escrever muito cedo e se tornou uma das vozes femininas mais conhecidas da poesia vitoriana, juntamente como sua compatriota Elizabeth Barret Browning. Sua obra é caracterizada pelos temas do amor e da morte, assim como pelo misticismo religioso. O poema a seguir é um dos mais conhecidos de sua rica lírica. Ao lado do original, uma tradução livre, para que o leitor penetre o “sentido” do poema. Logo depois, uma breve análise e uma versão pelo nosso maior poeta, Manuel Bandeira.                              REMEMBER BY CHRISTINA ROSSETTI Remember me when I am gone away, Gone far away into the silent land; When you can no more hold me by the hand, Nor I half turn to go yet turning stay. Remember me when no more day by day You tell me of our future that you plann'd:  Only remember me; you understand It will be late to cou…

DEUS E EU

Tenho um amigo que anda às turras com Deus. “Não acredito mais”, disse-me ele, “Faz anos que rezo e não saí da crise. Vejo gente sem fé se dando muito bem na vida.” “Por que você não consulta um economista, um psicólogo ou uma cartomante?”, eu lhe sugeri. “Economistas falam economês, psicólogas são boas na hora de arranjar emprego e cartomantes estão fora de moda”. Que cara inconformado! Sugeri que ele ouvisse Bach, o gênio que criou Deus à imagem e semelhança de sua música. “Não tenho paciência para música clássica”, me disse. “Mas Bach não é clássico, é barroco". “Dá no mesmo.” Ora, se o cristão não ouve Bach, como pode sair por aí falando em nome de Deus? “Prefiro ouvir o pastorda minha igreja”, rebateu de imediato uma amiga minha, santa mulher, que só usa saias abaixo dos joelhos e não depila as axilas.  E eu que não sabia que os pelos do corpo tinham a ver com Deus! “O pastor é músico também?” , perguntei na minha inocência. Minha amiga se irritou francamente: “Você é um ateu!…