Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2013

FUXICOS

Acho que, salvo um ou dois defeitos, a humanidade tem jeito e progride decididamente em direção a um futuro brilhante de compreensão e tolerância. As únicas guerras a persistirem no futuro serão por motivos fúteis, como disputas pelas riquezas dos territórios, divergências políticas e religiosas, ou mesmo a cor da tinta para se pintar o nariz nos dias de votação do congresso nacional ou julgamento do STF (Suprema Tolice e Falácia). Haverá também guerras de nervos entre os partidários de diferentes torcidas, sem esquecer as guerras de audiência que farão os estúdios de TV parecerem sucursais do zoológico.     Hoje em dia dá no mesmo ser ignorante, sábio, vesgo, sacristão ou senador. Na fila do Disneyworld somos todos iguais. Tenho uma amiga que adora fazer compras em Miami, já virou mania: tá deprê, avião pros States; sai de férias, avião pros States; precisa de uma cortina nova, avião pra Cubatão. Já lhe disse inúmeras vezes que São Paulo é a mesma coisa que Minas Gerais, com a difer…

CRÔNICA MAIS VELHA DO QUE EU

Não chego a ser um “early bird”, como se diz em inglês, um pássaro madrugador, mas estou no trabalho pontualmente às quinze para as oito todo santo dia. É um prazer rodar por uma rua desimpedida, com os pensamentos organizando-se para empreender os vários compromissos da jornada e ver o sol leitoso da manhã espalhando sua energia sobre a terra. Pensamentos têm vida própria, disse um sábio, eles entram numa mente, ajudam ou avacalham, segundo o perfil do proprietário, e depois se mandam em busca de outros hospedeiros. Por isso, é preciso estar alerta a todo momento, fechando a porta àqueles que não possuem outro propósito que não o de te atanazar. Isso é particularmente verdade de manhã  cedo, o que nos autoriza a retificar o ditado: ao invés de se levantar com o pé direito, deve-se levantar com o pensamento direito.             Era isso o que fazia Padre Abdala, com quem eu me encontrava todo dia ao chegar ao trabalho: sete e quarenta e cinco, eu descia do scooter, retirava o…